Crítica - As Above, So Below (2014)

Realizado por John Erick Dowdle
Com Perdita Weeks, Ben Feldman, Edwin Hodge

À margem de todo o alarido publicitário e de todos os seus apoios, "As Above, So Below" não escapa da mediocridade generalista que tem arrastado o género de filmes de terror para campos menos recomendáveis. É triste, mas embora seja uma produção indie com uma respeitosa lista de apoios financeiros e comerciais, esta produção pseudo found footage da autoria de John Erick Dowdle está longe, bem longe, de chegar sequer ao patamar de um filme minimamente assustador e recomendável para todos aqueles que procurem um projeto que tenha, pelo menos, aquela genuinidade digna de um filme de terror que valha a pena ver. Essa genuinidade não está presente aqui, sendo por isso que esta obra cairá rapidamente no esquecimento do público e de um género que necessita, urgentemente, de novas pérolas assustadoras que possam realmente empolgar todos aqueles que procuram algo mais que o simples e fraquinho filme comercial de terror que tenta assustar e intimidar por intermédio de clichés e elementos já muito vistos, como acontece precisamente com este projeto onde o suspense deriva de ideias já tão bem exploradas até ao tutano em projetos bem melhores e mais cativantes, como "Blair Witch Project" ou "REC".
É certo que aqui não viajamos para o meio de uma floresta negra ou para o interior de um prédio urbano, mas sim para um ambiente um pouco mais histórico, claustrofóbico e macabro, as catacumbas centenárias que descansam sob as ruas antigas de Paris. Este amplo cenário é bastante requintado e parecia ser o ideal para um filme de terror com potencial, mas o que é certo é que, apesar da brilhante e assustadora localização, este projeto falha redondamente na arte de criar qualquer tipo de terror ou medo junto do espectador que, no fundo, ao longo de aproximadamente uma hora e meia não se perde num filme de terror, mas sim num pseudo thriller de aventura que segue uma expedição mal sucedida de uma equipa de exploradores que se aventura no desconhecido labirinto de ossos e mistérios que compõem as famosas catacumbas. É claro que existe um certo panorama de medo durante todo o filme, mas tal panorama deriva apenas dos seus sombrios cenários, porque o desenrolar da trama não nos transmite essa ideia, aliás na génese de "As Above, So Below" não está sequer um filme de terror, mas sim um thriller que acaba por puxar mais pelo espectador como um filme negro de aventura com alguns recantos de mistério e dúvida mas, ainda assim, sem qualquer originalidade categórica ou própria. É aqui que esta longa também falha, porque há sempre aquela ideia que toda a sua intriga resulta de um conjunto de retalhos que, para além de já muito vistos, são igualmente mal conjugados numa viagem que, ao contrário do que os seus produtores afirmam, nunca chega a ser louca ou assustadora.

Classificação - 1,5 Estrelas em 5

3 comentários:

  1. Respostas
    1. Não acredito que você se deixa levar pelas críticas aleias em vez de assistir e fazer a sua própria esse filme teve boas críticas e o retardado que fez essa crítica ali João Pinto é a pior que eu vi na vida que idiota inútil dando uma de crítico se quer saber de uma verdade é bonzinho.

      Eliminar
  2. O filme é bom, mais poderia ter sido bem mais desenvolvido, pois ambientação histórica não faltou como tmb apontado na crítica. Temos que lembrar que crítico é um hater por natureza, assista e tire suas conclusões.

    ResponderEliminar

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial