Pérolas Indie - Cyberbully (2015)

Realizado por Ben Chanan
Com Maisie Williams, Ella Purnell, Wilson Haagens
Género - Thriller/ Telefilme

Sinopse - Casey (Maisie Williams), uma adolescente britânica com alguns problemas sociais e emocionais, é contactada por um hacker informático que, após aceder ao seu computador pessoal, começa a chantagiá-la para gozar com os seus colegas nas redes sociais, caso contrário irá divulgar fotos comprometedoras suas na internet. Os motivos para esta chantagem acabam por se tornar claros.

Crítica - Um aviso antes de começar. Por favor não confundam este cativante e tecnicamente bem feito telefilme britânico com o homónimo mas ranhoso telefilme norte-americano de 2011 que, salvo erro, já foi exibido pela SIC num sábado à tarde. O telefilme norte-americano é fraco nos parâmetros técnicos e muito infantil do ponto de vista narrativo, mas mais grave do que isso, acaba por não conseguir espelhar nada de concreto ou realista sobre as problemáticas que rodeiam o bullying pela internet, ou seja, o cyberbullying. 
É verdade que este britânico "Cyberbully" também não é um brilhante e honroso exemplo de realismo e moralidade, mas pelo menos foca toda a sua atenção na questão central e consegue incidir certas pertinentes luzes dramáticas e morais sobre uma questão tão problemática como o cyberbullying. Ao longo de apenas uma hora, "Cyberbully" retrata um exemplo rápido mas grave de cyberbullying, mas em vez de se focar na vítima, foca-se no agressor e na sua breve jornada de redenção para tentar, pelo menos, atingir a real dimensão trágica do que causou. 
É claro que de um ponto de vista meramente psicológico ou educativo, "Cyberbully" não é um brilhante exemplo de qualidade, mas pelo menos consegue passar várias mensagens relativas à pertinência desta questão atual, às possíveis consequências desta praga e o que se enquadra ou não num comportamento de cyberbullying e, este último ponto, acaba por ser o ponto educativo e moral mais interessante e relevante deste projeto televisivo, já que é dado ao espectador uma clara definição do que é um comportamento de cyberbullying e, acima de tudo, é transmitida a importante mensagem que nenhum ato de cyberbullying é pequeno demais ou irrelevante perante a potencial dimensão da situação em concreto. É nisto que "Cyberbully" é competente, porque para além de rodear toda esta questão com uma intriga interessante e intensa que está sempre presa à dinâmica desta problemática, consegue também passar, por meio de uma trama exagerada mas importante, uma série de mensagens relevantes sobre as consequências das ações de cada um e como estas podem afetar a vida de terceiros. 
É óbvio que esta produção televisiva não é nenhum espetáculo, mas é de longe o melhor produto atual sobre esta problemática, sendo por isso altamente recomendável a sua visualização, principalmente por parte jovens que possam não compreender muito bem este fenómeno. Não quero terminar este pequeno apontamento crítico sem mencionar a bela e forte performance de Maisie Williams, a Arya Stark da série "Game of Thrones", que em "Ciberbully" tem uma performance altamente cativante que prova, uma vez mais, que estamos perante uma das jovens atrizes mais promissoras do panorama cinematográfico.

Classificação - 3 Estrelas em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial