Crítica - The Visit (2015)

Realizado por M. Night Shyamalan 
Com Kathryn Hahn, Ed Oxenbould, Deanna Dunagan 

As palavras escapam-me na altura de esmiuçar e descrever de uma forma simples este bizarro "The Visit", o novo projeto do outrora promissor cineasta M. Night Shyamalan que, nos últimos anos, parece ter perdido aquele seu característico toque de génio e imaginação que o catapultou para a fama com filmes de ilustre sucesso, como "The Sixth Sense" (1999) ou "Signs" (2002). Embora seja um filme diferente, convém salvaguardar desde já que não será com "The Visit" que Shyamalan recuperará a glória ou a magnificência do passado, mas pelo menos este seu novo esforço escapa à mediocridade da sua produtividade mais recente e já denota uma tímida aparição desse seu tão produtivo e positivo toque de génio que, embora não seja tão proeminente como seria de esperar e desapareça sempre numa ideia promissora mas mal aproveitada, ajuda ainda assim a sarar traumas de um passado recente que encontram uma maior repercussão negativa na incompreensível monotonia pseudo intelectual de "After Earth" (2013) ou na parvoíce infantilizada de "The Last Airbender" (2010). 
Tal como estes dois malfadados fracassos, "The Visit" representa um exercício cinematográfico um pouco diferente de tudo o que Shyamalan já fez em Hollywood, mas ao contrário dessas esquecíveis produções, "The Visit" sobressai como um projeto bem mais competente e extravagante que está longe de ser memorável ou assertivo, mas que funciona um pouco melhor devido à inesperada diversão e eventual tensão que Shyamalan confere ao bizarro relato que nos é apresentado, na primeira pessoa, por dois jovens irmãos que vão visitar os seus avós maternos, com quem nunca estiverem antes, e que por força dos seus comportamentos perturbador e extravagantes terão que ultrapassar uma ameaça inesperada à sua sobrevivência. 


É irrefutável que "The Visit" nasceu para ser um thriller de terror, mas tal categorização não segue, neste caso específico, um padrão típico já que, com o desenrolar da sua trama, torna-se numa produção extremamente bizarra que, por vezes, parece seguir um caminho demasiado estúpido e completamente alucinado que parece digno de uma comédia extravagante, algo que provocará um preocupante nível de descrença junto do público e que o levará a temer o pior, mas o que é certo é que esta obra nunca abandona a sua génese de tensão, suspense e terror que eventualmente conquista uma estranha vivacidade na sua última meia hora, sendo precisamente esta parte conclusiva que nos leva a recordar o que de melhor o seu realizador já nos ofereceu no passado. 
No fundo, "The Visit" resulta de uma curiosa mas de certa forma falível mistura entre tensão e humor que origina, desta forma, uma produção com muitos altos e baixos que, inesperadamente, apresenta tantos momentos de tensão como de humor. É por esta mesma razão que é perfeitamente normal, ao longo da sua intriga, assistirmos à inesperada coexistência entre a surpresa e o suspense provocados por sequências bem montadas com um certo toque de imprevisibilidade e os inesperados risos histéricos e sentimentos de descrença que são motivados por sequências mais descontraídas e surreais que contrabalançam o peso da tensão com o peso de um humor, repito, inesperado mas por vezes exagerado para o tipo de filme que "The Visit" é.
É bem verdade que tal oscilação entre humor e tensão poderia ser positivo caso fosse equilibrado, mas o que é certo é que apenas a parte final de "The Visit" sobressai como um verdadeiro produto de suspense e competência, algo que não é minimamente suficiente para fazer face à restante oferta deste projeto que, pese embora esse final positivo e a presença a espaços de certas sequências surreais habilmente introduzidas, não consegue reunir o consenso esperado e acaba assim por não ser muito mais do que um filme com umas certas surpresas positivas pelo meio e com ideias com muito potencial mas que, no final, redunda numa combinação esquisita e ligeiramente exagerada do ponto de vista cómico mas insuficientemente profunda do ponto de vista do suspense e da exposição.
É claro que, ainda assim, importa salientar que "The Visit" tem o seu potencial para entreter e para reforçar o regresso de Shyamalan a uma nota um pouco mais positiva, porque apesar de ser desequilibrado e de não ser exactamente aquilo que aparenta, "The Visit" tem os seus momentos e merece um visionamento à cautela.

Classificação - 2,5 Estrelas em 5

3 comentários:

  1. Falou falou e não disse nada.. O filme foi ótimo e você um trouxa! :) Importa salientar que você afasta o público com esse monte de palavras que ninguém nem sabe o significado ;*

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. É verdade que é um dos melhores dos anos recentes do Shyamalan, mas realmente tem muitas falhas e não é aquele filme de terror que se previa, mas há que admitir que tem por lá algumas partes curiosas

      Eliminar

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial