Crítica - Project Almanac (2015)

Realizado por Dean Israelite 
Com Sofia Black-D'Elia, Allen Evangelista, Ginny Gardner

Produzido por Michael Bay, "Project Almanac" pega no tema das viagens no tempo e tenta capitalizá-lo ao máximo ao tentar repetir, sem sucesso, os consagrados passos que "Chronicle" (2012) promoveu em relação ao tema dos super poderes. Embora seja um projeto juvenil ligeiramente curioso que pode até puxar, no seu início e final, por um entretenimento satisfatório, "Project Almanac" acaba por não ser, no seu conjunto, um filme tão interessante como aparentava. Isto porque peca de forma repreensível em diversos aspectos básicos que deveriam orientar toda a sua génese de entretenimento. No fundo estamos perante uma obra que peca na hora de aproveitar com o suspense devido o seu complexo tema, já que este é explorado com pouca pujança e demasiados desvios inexplicáveis por parte de uma intriga que destaca-se apenas pelo seu desequilibro.


Tal intriga segue, em primeira pessoa, a aventura temporal de um grupo de jovens que tropeçam acidentalmente numa máquina do tempo. Tendo na sua posse os planos de funcionamento da máquina decidem colocá-la a trabalhar e começam a mexer com o passado, algo que terá graves repercussões no presente. Tal como já referi apenas a sua introdução e conclusão sobressaem com uma nota positiva, já que exaltam os sentimentos que se esperam de um filme como este. Este minutos iniciais e finais têm suspense e promovem um entretenimento juvenil razoável, mas o resto do filme não acompanha esse positivismo. O seu desenvolvimento é bastante parado e perde-se em demasia nas mini aventuras desinteressantes e nos dramas inócuos dos jovens protagonistas, sejam eles românticos, familiares ou escolares. Para além das já esperadas e mais que óbvias falhas científicas, "Project Almanac" também é afetado por muitas falhas de contexto. Mas estes problemas acabam por não ter tanta relevância para a qualidade do filme, já que nunca se esperava muita complexidade, seriedade ou competência científica da sua parte. É portanto ao nível do enternecimento puro que lhe devem ser apontadas as maiores falhas, isto porque "Project Almanac" nunca cumpre o seu potencial neste campo e a pouca diversão que nos oferece nunca é transmitida na dose certa ou de forma limpa e equilibrada. 

Classificação - 2 Estrelas em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial