Crítica - The Girl on The Train (2016)

Realizado por Tate Taylor
Com Emily Blunt, Rebecca Ferguson, Haley Bennett

Foi promovido, pelos seus produtores, em particamente todo o planeta como um dos melhores thrillers do ano passado e, efetivamente, tinha potencial para o ser. Afinal de contas, “Girl on the Train” reúne um elenco de qualidade e uma trama intrigante que tem como base o homónimo livro best seller da autoria de JJ. O resultado final, infelizmente, não traduz o potencial nem as expectativas que rodearam este projeto, não sendo por isso de estranhar que "The Girl on The Train" seja considerado uma das maiores desilusões de 2016. A sua história centra-se em Rachel (Emily Blunt), uma mulher inconsolável devido ao seu divórcio recente e que passa a sua viagem diária no comboio a tecer fantasias sobre um casal aparentemente perfeito que vive numa casa por onde o comboio passa. Um dia vê acontecer algo que a perturba e envolve-se num mistério que a vai prendendo a uma intriga com intenções perigosas, mas que infelizmente não se traduz num filme competente ou completo.
Embora tenha um elenco moderadamente competente liderado por uma performance acima da média de Emily Blunt,  “The Girl on the Train” apresenta um nível abaixo da média em todos os restantes elementos, desde uma ineficaz direção de Tate Taylor até um enredo inerte e enfadonho. No fundo falta ritmo, ação, suspense e emoção a este projeto que poderia ter sido um avassalador thriller dramático, mas que infelizmente se revela uma obra demasiado morna e cansativa que deixa, junto do espectador, um péssimo sentimento de insatisfação perante o potencial desperdiçado.

Classificação - 2 Estrelas em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial