Pérolas Indie - Straight Outta Compton (2015)

Realizado por F. Gary Gray
Com O'Shea Jackson Jr., Corey Hawkins, Jason Mitchell 
Género - Drama

Sinopse - Califórnia, Década de 1980. Cinco jovens usam as suas experiências pessoais na produção de músicas honestas, rebeldes, diferentes e totalmente contra o sistema. Surge o N.W.A. (Niggaz Wit Attitudes) que dá voz a uma geração e promove a explosão do chamado "gangsta rap".

Crítica - Para os amantes de hip hop, "Straight Outta Compton" é um filme imperdível que será para sempre recordado e revisto como uma das cinebiografias mais impactantes e surpreendentes que Hollywood algum dia já produziu sobre os artistas de um dos géneros musicais mais ouvidos nos Estados Unidos. Mas "Straight Outta Compton" não é apenas imperdível para os fãs de hip hop, já que a sua inegável qualidade e poder cinematográfico tornam-no numa apelativa e desde logo interessante aposta para qualquer apreciador de um bom filme que assenta numa boa história real.
Estamos perante uma obra que explora as origens do grupo musical de rappers N.W.A. (Niggaz Wit Attitudes) e demonstra como é que alguns dos nomes mais populares da musica rap começaram as suas carreiras. Entre os ilustres membros deste grupo encontram-se rappers bem conhecidos do público português, como Ice Cube ou Dr. Dre, bem como outros menos conhecidos por cá mas com um estatuto de lenda nos Estados Unidos, como é o caso de Eazy-E (já falecido), MC Ren e DJ Yella. 
O início da carreira destes cinco ilustres "gangsta rappers" é portanto alvo de um tratamento cinematográfico muito cuidado e intenso por parte desta obra que, a julgar pelo que se diz, aproxima-se muito da realidade ou não estivessem Ice Cube e Dr. Dre entre os seus produtores. Não estamos perante apenas uma simples história de ascensão musical mas sim perante uma história de sucessos, fracassos, traições e reviravoltas bem realistas que demonstram a instabilidade do mundo musical, bem como os seus perigos e as consequências de ações e atitudes que podem ser interpretadas como riscos que compensam ou como parvoíces que acabam com carreiras. Este intenso jogo de intenções e mentalidades acompanha todos os passos de uma intriga bem moldada e desenvolvida que raramente desilude o espectador. 
É claro que "Straigh Outta Compton" é um filme bem musical, mais não seja porque a cada esquina somos presentados com exemplos musicais do "gangsta rap" e de outros clássicos géneros de hip hop que dão um toque duro mas delicioso a esta produção. Embora a sua base seja  musical esta obra tem uma presença forte de drama humano, político e social. No seu epicentro estão relações humanas que crescem ou caem consoante decisões, conspirações ou reviravoltas que alteram o status quo dos intervenientes e impactam as suas respectivas vidas, umas para melhor, outras para bem pior. O que importa realçar é que tal dinâmica, quase política mas com forte influência social e humana perante a realidade americana, torna esta produção num intenso e brilhante drama humano sobre o sucesso e a ambição que merece ser apreciado.
Este sucesso deve-se muito à participação dos próprios intervenientes reais da história na sua produção que, assim, acabaram por conferir-lhe um toque de realismo e dureza natural que fica sempre bem em qualquer cinebiografia, especialmente numa que explora um mundo tão complicado como o da industria musical. O seu sucesso deve-se também ao realizador F. Gary Gray, um competente cineasta conhecido pelos seus trabalhos em "The Italian Job" ou "Law Abiding Citizen (2009) que demonstrou aqui muita ambição e uma clara aptidão para a arte cinematográfica. A sua aposta em criar algo mais sério e duro sobre as origens do hip hop moderno compensou, já que por estes dias Gary Gray já é um dos realizadores mais requisitados em Hollywood por culpa deste seu excelente trabalho.
Esta obra também tem um ponto muito forte junto do seu elenco. Formado por jovens atores praticamente desconhecidos, o elenco principal de "Straight Outta Compton" apresenta uma performance muito crua mas natural. Entre os destaques estão os jovens O'Shea Jackson Jr. (Ice Cube) e Corey Hawkins (Dr. Dre) que parecem ter uma possibilidade de futuro em Hollywood, mas claro tudo dependerá do que farão agora com as suas carreiras mas, pelo menos, este seu inicio é auspicioso. O único ator mais conhecido desta produção é Paul Giamatti que assume aqui um pouco o papel de vilão, já que representa o típico empresário com sede de lucros e sucesso que não olha a meios para obter o que pretende. Tal empresário tem uma base real que já deu origem a um processo judicial intentado pelo próprio KK, que considera que a representação que "Straight Outta Compton" não é mais correta, mas polémicas à parte importa dizer que Giamatti tem uma bela performance que, quem sabe, poderá levá-lo a uma candidatura à nomeação ao Óscar de Melhor Ator Secundário. É provável que "Straight Outta Compton" também ambicione a uma nomeação ao Óscar de Melhor filme, pelo menos o potencial está todo lá, mas há várias coisas que podem limitar as suas possibilidades, como a dureza da concorrência ou o facto de ter estreado demasiado cedo em território americano. Mesmo que não chegue aos Óscares nada pode retirar a este filme de Gary Gray o facto de já ser uma das maiores surpresas positivas de 2015, bem como uma das maiores surpresas comerciais que a Universal Pictures teve este ano. 


Classificação - 4,5 Estrelas em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial